OS GRANDES DESAFIOS PARA O TRECHO PERNAMBUCANO DA TRANSNORDESTINA SAIR DO PAPEL

Depois de 15 anos de obras e R$ 6,4 bilhões empregados, os desafios para ramal pernambucano da Ferrovia Transnordestina sair do papel, chegando a Suape, continuam enormes. Na segunda-feira passada (16), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, disse ao governador Paulo Câmara (PSB) que o trecho pernambucano será retirado da concessão da empresa que está fazendo as obras desde 2006. No meio empresarial, a decisão do governo do Estado de começar a procurar por um investidor privado para terminar a obra foi elogiada, mas dois dos maiores especialistas em ferrovias do País criticaram a decisão, citando várias pedras no meio do caminho para fazer a carga que vem do Sul do Piauí chegar ao porto pernambucano.

Em entrevista ao Jornal do Commercio de Pernambuco, o Eng. José Manoel Ferreira Gonçalves, presidente da Frente Nacional de Volta pelas Ferrovias (Ferrofrente), os grandes desafios para o trecho pernambucano da Transnordestina sair do papel.

Acesse o anexo e leia a matéria completa: https://josemanoelfg.com.br/wp-content/uploads/2021/08/economia_os_grandes_desafios_para_o_trecho…pdf

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email